Os 5 Crimes mais Misteriosos da Internet

Publicado em janeiro 20th, 2010 |

Os 5 Crimes mais Misteriosos e nunca Solucionados da Internet

Os 10 Crimes mais Misteriosos e nunca Solucionados da Internet

Hacker é a palavra da moda. Eles são o terror das empresas e de pessoas que acham que estão protegidas com um antivírus. Mas os crimes online são muito mais complexos. No mundo da informática, quebras de segurança ocorrem a todo instante e apenas algumas poucas vezes os malfeitores acabam rastreados e identificados pela polícia ou por algum outro órgão de segurança pública.
-
Quando um grande crime cibernético não é solucionado, muitas vezes ele também acaba ficando esquecido. Ou seja, as pessoas que não habitam o universo dos crimes tecnológicos sequer ficam sabendo que tal fato aconteceu. Por isso, foi elaborado uma lista com os 5 crimes cibernéticos que jamais foram solucionados.

1. O Worm WANK (outubro de 1989):
É considerado primeiro ataque de um hacker. O WANK foi um worm que atingiu em cheio os escritórios da NASA em Greenbelt, cidade no estado americano de Maryland. O programa invasor – cujas iniciais significam Worms Against Nuclear Killers (literalmente, “vermes contra os assassinos nucleares”) – fez aparecer um banner em todos os computadores do sistema.
-
Foi um protesto que teve como intuito tentar impedir o lançamento da sonda Galileo (que utilizava plutônio como combustível) a Júpiter. Dizem que a NASA gastou cerca de meio milhão de dólares em tempo e recursos para fazer a limpeza completa do seu sistema. Até hoje, ninguém tem certeza de onde o ataque se originou, embora muitos dedos tenham sido apontados para hackers de Melbourne, na Austrália.
-
2. Satélite hackeado do Ministério da Defesa (fevereiro de 1999):
Um pequeno grupo de hackers do sul da Inglaterra conseguiu se apoderar do controle de um satélite (modelo Skynet) do Ministério da Defesa local. A invasão se caracterizou por aquilo que os oficiais encarregados chamaram de “guerra de informações” – o ataque ficou notório por ter prejudicado seriamente os canais de comunicação entre os órgãos militares.
-
Ao final do ataque, os hackers reprogramaram o sistema de controle antes de serem descobertos e, embora a unidade de crimes cibernéticos da Scotland Yard e as Forças Armadas americanas tenham trabalhado em conjunto para investigar o caso, não foi efetuada nenhuma prisão.
-
3. Cartões de crédito na CD Universe (janeiro de 2000):
Um caso de chantagem com desfecho trágico, a postagem de mais de 300 mil números de cartões de crédito pelo hacker Maxim, de um site chamado “The Maxus Credit Card Pipeline”, continua sem solução desde o começo do ano 2000, data do ocorrido.
-
Maxim roubou as informações desses cartões ao invadir o CDUniverse.com, tendo exigido 100 mil dólares em espécie para destruir os dados. Ainda que muitos acreditem que Maxim seja do leste europeu, o caso continua sem solução.
-
4. Roubo de código-fonte militar (dezembro de 2000):
Entre as muitas coisas que ninguém gostaria que caíssem em mãos erradas, certamente encontra-se o código-fonte dos sistemas de controle de mísseis teleguiados. No final do ano 2000, um hacker invadiu o sistema de um laboratório de pesquisas navais em Washington, capital dos EUA, e surrupiou dois terços do código-fonte de um software que era responsável justamente por tal controle.
-
Tratava-se do OS/COMET, da companhia Exigent Software Technology, empresa trabalhando sob contrato para o governo norte-americano. As autoridades conseguiram rastrear a origem do intruso, de codinome “Leaf”, até a universidade de Kaiserslautern, na Alemanha, mas foi só até aí que chegaram. Depois disso, a trilha simplesmente desaparecia.
-
5. Hacker anti-DRM (outubro de 2001):
Hackers não são necessariamente más pessoas (quem rouba e comete crimes é o cracker). Muitas vezes, os hackers estão apenas tentando corrigir algo errado ou facilitar a vida do público consumidor de tecnologia. Foi esse o caso do hacker conhecido como Beale Screamer, cujo programa, o FreeMe, permitia aos usuários do Windows Media desvencilhar-se do famigerado DRM, sigla pela qual é mais conhecido o procedimento de segurança “digital rights management” que vem agregado a inúmeros arquivos de música e vídeo.
-
Quando a Microsoft começou uma caçada a Beale, diversos ativistas anti-DRM passaram a tratá-lo como um verdadeiro herói tecnológico.

E você conheça mais Crimes Digitais?? Deixe sem comentário!
-
Fonte: Msn Tecnologia




Ei, psi!! Convidamos você a visitar esses links também.

Carlos Tassui

Meu nome é Calos Tassui, tenho 26 anos e estou no movimento Punk a 9 anos. Agora estou entrando no mundo tecnologico e com a ajuda de todos irei me tornar muito mais social hehe.



Comentários

Deixeu seu Comentário

Atenção:
Qualquer opinião publicada aqui no Blog Rafael Designer pelo nosso sistema de comentários, não reflete necessariamente, o pensamento e opinião de nossos Colaboradores. Os comentários publicados e aceitos pelo nosso sistema automático são de total responsabilidade e autoria dos leitores de nosso blog.

Sendo assim, reservamos o direito de excluir ou mesmo alterar opiniões que sejam de caráter ofensivo, calunioso, difamatório e preconceituoso como também leitores que publicarem somente links de forma a tentar ganhar Backlinks autênticos.